Arquivo da categoria: Humor

Com chapéu, sorriso e sem pressa!

Eu, meu chapéu e meu sorriso em Paris.

Ao passear o chapéu que ganhei em Paris por Três Pontas, penso que ele talvez tenha mudado de função. Aqui, eu o uso sobretudo para proteger minha cabeça e meu rosto do sol. O sol de lá era tão brando… E mesmo com vento eu usei o chapéu. Lá ele chegou para compor o visual, toda romântica eu estava, simplesmente por estar ali. Passeava me sentindo bem por estar em Paris. O chapéu pareceu perfeito para o meu estado de espírito! Eu adorava aquele anonimato sem fim, aquele vazio pronto para virar criação. E o chapéu me levou a encarnar múltiplas personagens. Pura epifania. Mas aqui a coisa mudou de figura.

Eu, meu chapéu e meu sorriso em Três Pontas

Vejam: em ambos os lugares o chapéu e o sorriso expressaram a alegria, o contentamento que sinto por estar viva e por ser mesmo assim. Hoje, por exemplo, eu o coloquei para ir caminhando para uma aula que era longe da minha casa (e a distância eu a calculei em termos do tempo em que o sol estaria sobre a minha cuca) e quando cheguei ao meu destino, adivinhem? Semana do saco cheio, no classes! Sorte que eu tinha o chapéu me protegendo do sol e do mau humor! De uma caminhada aparentemente infértil de chapéu sob o sol fui levada a resolver um probleminha com o celular que havia dias estava – digamos – me estorvando (ai que palavra boa!) com coisas mínimas facilmente resolvíveis e que a gente insiste em procrastinar.  A loja  salvadora da pátria dos problemitos estava em meu caminho. Acaso?

Gosto de ter vida lúdica de caminhante. E de me forçar a ter um estilo de vida mais simples, pois sei que cedo fácil a certos apelos consumistas. (Ainda.) E à pressa. Sim, um carro seria legal. Mas não quero ceder a isso. Ainda não. Essa não é uma real necessidade e poderia atrapalhar, por ora. Deus sabe o que faz- E quando e aonde faz também. (Ele ter me feito, e em Três Pontas, por exemplo, não é mera coincidência. E, quanto ao quando, tampouco!). Há tempo para tudo sob o sol. O tempo hoje pediu chapéu e sorriso e um dia pedirá carro. Acho. Tudo devagar.

Com chapéu, sorriso e sem pressa!

O tempo hoje também pediria bicicleta, mas a minha alguém me pediu e eu emprestei. Então fui assim mesmo para a aula que nem teve: caminhando com chapéu, sorriso e sem pressa!

Namastê e muito bom humor para todos os seus dias!


Vai uma banana?

Estamos em Março, o mês considerado pela ONU o mês da mulher. É isso mesmo: o mês que possui em si o “Dia Internacional da Mulher”, 8 de março é também ele todo consagrado à mulher. Se você sabe o que aconteceu neste dia para que levasse esse título, parabéns. Se não sabe, leia isto: http://estrambolicarte.blogspot.com/2012/03/historia-do-8-de-marco.html.

A banana de Andy Warhol, grande ícone da Pop Art, foi feita especialmente para o disco da banda The Velvet Underground.

“Tortura que ela atura com fartura no viver social, então leve uma banana, também social”, cantou Tom Zé em sua música “Vibração da Carne”.  Artístico, lírico, lúdico, crítico, gênio, Tom Zé é de fibra. Um cara que não tem medo de mostrar a cara. Faz questão de ser ele mesmo e de dizer o que pensa. Não se encaixa neste status quo moderno focado na noção de que pra ser bom tem que ser belo, novo, magro e rico. Tom não muda de tom para satisfazer a demanda externa. Ele é fiel à sua  essência, à sua raiz; vive aquilo em que acredita. E distribui bananas pra quem  insiste em falar mal dele sem o conhecer. A banana acima vai para o homem que trata mal a sua mulher.  Vai também para o homem que  não reconhece o valor humano da parceira e para a mulher que não se dá o valor que tem.

A música “Vibração da Carne” é uma das várias que compõem o álbum “Estudando o Pagode – Opereta do segregamulher e amor”.  O disco propõe uma discussão sobre a segregação da mulher na sociedade. O tema é abordado com a classe e irreverência que são praxes da obra do músico bahiano de 75 anos, misturando ironia, humor e poesia num tacho só. Os hits “O amor é um rock” e “Mulher navio negreiro” se destacam no quesito ritmo e musicalidade, mas não deixam a desejar em criticidade e engajamento social. “Quero Pensar” e “Estúpido Rapaz” sugerem uma ruptura com conceito herdado da tradição judaico-cristã, em que a mulher é associada a palavras como “pecado”,  “demônio” e “diabo”.

O estudo do pagode feito pelo bahiano – que foi forçado a fazê-lo por ser vizinho de pessoas que ouviam o ritmo musical periodicamente em volume alto – revela que o maniqueísmo encontrável na Bíblia não foi abandonado quando se trata de conceituar a mulher moderna. As imagens da mulher  encontradas no pagode oscilam entre um extremo e outro: ora santa imaculada ora prostituta diabólica. Deve-se procurar evitar o uso desses esteriótipos e humanizar a imagem da mulher, quebrando paradigmas historicamente construídos. Um homem que diz que uma mulher – ser humano tanto quanto ele – é “o diabo” está nú. Seu discurso revela dele o seu “encubado, calado, colado, pirado pavor do segredo sagrado” da intimidade sexual e do amor personificado na mulher, como canta Tom na faixa “Mulher, navio negreiro”.

Em “Prazer Carnal”, “Duas Opiniões” e “Ave Dor Maria” pode-se notar forte crítica à apologia do sofrer – a crença de que o sofrimento é próprio do amor – encontrável em grandes doses no discurso religioso.  Essa concepção é embasamento fundamental para que mulheres no Brasil entreguem suas vidas a homens capazes de atos desumanos para manterem intacto o seu senso de masculinidade, posto em prova pela relação a dois desequilibrada. E tudo em nome do amor. E tem o agravante do ideal romântico digno de “princesas Disney” que ajuda a deixar a mulherada bem dócil e passiva quando submetida à violência, à agressão e à privação. “Seja simpática, seja educada e amável. Seja submissa.”  Desde cedo, a mulher aprende que,  em nome do amor, vale tudo, até mesmo ferir a si mesma. Desrespeitar-se. Estar à mercê do “predador”. Tá na hora de mudar esse quadro. O começo: não ensinar isso para nossas filhas e filhos.  Criá-los com capacidade de criticar tal produto. Para que não criemos vítimas de um futuro em que subsista a opressão.

Vejam como as mulheres não são as únicas vítimas dessa herança religiosa e cultural.  Tom diz que o seu disco é “masculinista”, pois vê o machismo como desfavorável para o homem que, não se conscientizando do mal que faz – por falta de reflexão e comodidade com lugar social que ocupa – acaba por se tornar vítima de um padrão: o da incapacidade de satisfazer a sua mulher e, mais radicalmente, a dificuldade em manter uma relação em que a parceria entre homens e mulheres efetivamente se realize. Tudo o que relatei contribui para manter altos os índices de violência e atentados à vida, à saúde física, psíquica e emocional da mulher, assim como aqueles que atualmente o Brasil ostenta.

“Baião de dois não dá pra fazer sem dividir a bênção do prazer”, aponta Tom ainda na faixa “Vibração da Carne”, relacionando a dificuldade da mulher em alcançar o orgasmo com essa tradição do discurso machista de se considerar por direito possuídor de mais  privilégios que ela, até mesmo no campo do sexo. “O que pergunto aos homens é se será que vale a pena continuar tratando mal a mulheres, dando o prejuízo que isso dá? Se você tem a companheira do homem com o pé atrás, desconfiada, ela então… (…) não lhe mostra (o segredo sagrado da intimidade profunda) porque você é um inimigo em potencial. Você ajudou incutir nela uma porção de infernos”, atesta o músico. Abaixo, no vídeo, Tom descreve por si mesmo esse ponto-de-vista. E diz mais. Diz o que deve ser dito.


TOP 11 DE 2011

Muitas filosofagens foram feitas na Taverna no ano de 2011. Alguns temas foram nostálgicos, televisivos ou musicais, mas cada texto escrito de um jeito no guardanapo e revelando muito de nossas histórias, sentimentos e afinidades depois de tomar alguns goles de álcool.

Separamos aqui os textos que mais sacudiram a Taverna Filosófica para que os nossos clientes taverneiros relembrem os causos e também apresentar aos mais bêbados, que dormiram na mesa, os grandes sucessos desse ano!

TOP 11 2011

TOP 1

Desenhos que divertiam as crianças nos anos 80

Por Carla Oliveira

 “Eu tive a sorte de ser criança  na época dos desenhos animados mais legais de todos os tempos. Logo abaixo segue a lista dos meus preferidos. E vocês, meus amigos taverneiros quais desenhos animados fizeram parte da sua infância e quais aqueles que vocês mais gostaram?…” 

Leia mais

TOP 2

Senta que lá vem história

Por tatitalima

Agora, peço gentilmente aos frequentadores que se sentem, pois contarei uma história que já foi construída com novos ideais (agora velhos) dentro do mundo da arte, mais precisamente sobre a história de como vivemos, dentro de uma casinha.

Mesmo pendendo para a “arte” do Urbanismo, sempre tive fascínio pela História da Arte e da Arquitetura, mas agia com certo preconceito sobre a História do Mobiliário. Com o tempo, fui convencida que todas essas “artes” estão totalmente interligadas e contam, de maneira sutil, como pensamos e vivemos…” 

Leia mais

TOP 3

Adele, sabor Chandelle

Por tatitalima

“Gosto de dar um tipo de sabor para tudo que gosto, talvez porque comer seja meu maior prazer. Cinestesia? Provável. Fechar os olhos e sentir um cheiro que te leva a um sabor, um sabor que te leva a algum lugar, um lugar que te leva a alguém, e se alguém te arrastou até aí usando esses sentidos é porque o tato é a cereja do bolo…”

Leia mais

TOP 4

3% rumo aos 100%

Por tatitalima

“Nessa Taverna independente sempre buscamos papos sobre produções autorais. Nos últimos meses falamos sobre o campo da música, agora a pauta é sobre TV.

Passaram alguns meses e os 3% que começaram a divulgação espalhando os links da série brasileira 3%, pela web, foram os responsáveis pela semeação da ficção científica mesclada com drama, produzida por mentes jovens do curso de Audiovisual da ECA-USP…”

Leia mais

TOP 5

RPG Eletrônico

Por Diego Said

“Muitos ao lerem o título do post, já pensaram “isso não existe” principalmente o pessoal que joga rpg a bastante tempo. Discordo em parte de vocês, muitos dos elementos do RPG tradicional é encontrado no eletrônico mas é impossível ter toda a liberdade e criatividade de se fazer o que quiser. Lembre-se um console/pc são máquinas feitas para serem precisas, é inviável para a equipe que desenvolve o game prever todas as ações que milhares de jogadores queiram tomar…”

Leia mais

TOP 6

True Blood

Por Victor

“Devo começar esta… seja lá o que for com um pedido de desculpas a todos que acham realmente legal um Vampiro brilhar no sol!

True Blood é uma série que retrata um mundo onde o sobrenatural existe e aqui os vampiros são criaturas complicadas e monstruosas (difícil encontrar isto nos dias de hoje). Se for um jogador de RPG então sentirá certo conforto na série, eles são criaturas traiçoeiras e assassinas…”

Leia mais

TOP 7

Levante-se, não fique fora da Casinha!

Por tatitalima

“Em menos de um mês que choramos as pitangas pelo cenário da música curitibana, ouvindo as canções que causam dependência, viciamos os  frequentadores dessa Taverna. Bêbados pelas doses dos acordes, fomentamos a discussão: “[…] A indagação sobre o potencial artístico das cidades, como Curitiba e outras, no cenário musical não se propagar está restrito à produção local ou o problema está em pequenas portas enferrujadas que não se abrem para esses artistas, nem mesmo dentro da própria cidade? […]”

Leia mais

TOP 8

Into the Wild (Na Natureza Selvagem)

Por Victor

“Já pensou em abandonar tudo? Em se afastar desta sociedade louca? Esta é a história de Christopher que é contada no filme Na Natureza Selvagem (Into the Wild) de 2007. Um rapaz que não se adaptava a sociedade consumista e que resolve ir para o Alaska. Algo que chamo tua atenção é para o relacionamento que ele tinha com os pais.

Quantas pessoas não passam por situações semelhantes? Quantas pessoas não se adaptam ou não visualizam sentido na sociedade? Baseado em fatos reais com uma abordagem muito interessante e cativante é sem dúvida um filme que vale a pena conferir…”

Leia mais

TOP 9

Frases de filósofo x Frases de Programador

Por Carla Oliveira

“Olá queridos taverneiros, trago algumas frases para divertir a nossa taverna, pois uma boa taverna que se preza sempre tem algumas “frases engraçadas” e piadas para divertir seus taverneiros.

Como a nossa taverna é nerd e filosófica nada mais justo do que frases de filósofos x frases de programador…”

Leia mais

TOP 10

Algum demônio, algum anjo

Por tatitalima

“Desta vez, trago reflexões sobre a história e a arte de quem somos: a arte de ser anjo e demônio. Mas, refletir sobre esse tema vai além da história da humanidade e exige buscar a verdade, a busca e não necessariamente o encontro.

Comecei buscando as definições de anjo e demônio e descobri que tais definições se transformaram ao longo do tempo. Segundo meu dicionário amarelado e cheio de “orelhas”, um anjo seria a representação da perfeição moral, que não pertence à humanidade. Um demônio seria na antiguidade (visão politeísta), um gênio inspirador, tanto bom quanto mal, que definia o caráter e o destino de alguém – a alma, o espírito. Demônio (para o monoteísmo) é o anjo que se rebelou contra Deus, um gênio do mal, um anjo caído…”

Leia mais

TOP 11

Universo Paralelo

Por tatitalima

“A especulação sobre outros mundos sempre esteve presente em nossas vidas, principalmente em nossas concepções sobre as escolhas. Falar sobre tais mundos alternativos é um assunto que sempre gera polêmica, principalmente numa Taverna, numa roda de amigos.

Durante a nossa jornada, em algum momento, já pensamos sobre a possibilidade de um (ou mais de um) universo paralelo, embora alguns interpretem de forma mais religiosa ou espiritual e outros analiticamente se apeguem às questões científicas que envolvem o assunto.”

Leia mais


11/11/11 – O que você vai fazer nessa data “especial”?

Olá taverneiros de todo o mundo! Amanhã (aqui no Brasil) será dia 11/11/11, uma coincidência do calendário, mas estava eu a cogitar o que os taverneiros ouvintes e leitores de nosso blog e podcast irão fazer, resolvi então criar essa enquete, a pergunta é a seguinte: O que você irá fazer no dia 11/11/11? (caso você visualize depois da data responda o que você fez.)


Cast 009 – Noite na Taverna

O nono podcast da Taverna Filosófica está no ar! O podcast é um programa que serve para informar e divertir os frequentadores dessa Taverna. Puxem uma cadeira e participem do papo furado que honra o nome do ponto, contando fiascos de bêbados  dos taverneiros Lessandro “Leitinho”, Tiago “Cachaça”, Tatita “Lixeira” e dois convidados especialistas no tema, Cleber “Pudim” e Pedro “Hugo”.

Duração:   74′ 39” min.

Não deixem de ouvir os emails no final do cast! A partir de 60′ 52”.

Ouça o podcast

Download podcast 

Para baixar o podcast clique em Download podcast com o botão direito e em seguida selecione salvar…

ATENÇÃO PARA O NOVO FEED (ITUNES, WINAMP, ETC):

https://tavernafilosofica.wordpress.com/category/cast/podcasts/feed/

O que é RSS? Como assinar um blog? Como assinar um podcast?

Comentado nesse episódio:

Fiascos, muitos fiascos.

Mídias e Modos

Papo de Gordo

We R Geeks

Ouça aqui os podcasts anteriores! 

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Cast 005 – Aventuras no Youpix

O quinto podcast da Taverna Filosófica está no ar! O podcast é um programa que serve para informar e divertir os frequentadores dessa Taverna. Puxem uma cadeira e participem da conversa de boteco sobre as Aventuras no Youpix, um digno papo furado sobre as aventuras dos taverneiros na terra da garoa com Tiago Ferreira, Tatita Lima e um cliente especial, Tullio Velho.

Duração: 47’47” min.

Não deixem de ouvir os emails no final do cast! A partir de 44’23”.

Ouça o podcast

Download podcast

ATENÇÃO PARA O NOVO FEED (ITUNES, WINAMP, ETC):

https://tavernafilosofica.wordpress.com/category/cast/podcasts/feed/

O que é RSS? Como assinar um blog? Como assinar um podcast?

Comentado nesse episódio:

YouPix? NósPix!

NósPix!

Premiação dos Talentos no Youpix 2011

Taverna Filosófica na Revista UP

Nerdcast 274 – Glu Glu IéIé, Porra!

Ouça aqui os podcasts anteriores! 

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

How I Met Your Mother – Primeiras impressões

Olá Taverneiros, bêbados e sóbrios! Vamos falar sobre comédia e sobre relacionamentos! Afinal a série How I Met Your Mother tem esses temas, entre outros.

A série criada por Carter Bays e Craig Thomas conta a história de Ted Mosby, um arquiteto solteirão, que vive em New York, querendo encontrar o grande amor de sua vida, a história é narrada pelo próprio Ted, mas em 2030, contando-a a seus 2 filhos.

Capa da primeira temporada de HIMYM

Ted Mosby (Josh Radnor) e seus amigos Marshall Eriksen (Jason Segel), Robin Scherbatsky (Cobie Smulders), Barney Stinson (Neil Patrick Harris) e Lily Aldrin (Alyson Hannigan), no ano de 2005, na primeira temporada e continua uma temporada por ano, até o nosso ano. Essas histórias incluem muita comédia, reflexões sobre relacionamentos, tanto de casados, namorados e amigos. Continue lendo