Arquivo do autor:Carla Oliveira

Sobre Carla Oliveira

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira. Uma parte de mim é só vertigem:outra parte, linguagem. Traduzir-se uma parte na outra parte - que é uma questão de vida ou morte - será arte?

Estréia em São Paulo a peça Meu Amigo Raul

MeuAmigoRaul

A ideia deste espetáculo surgiu no camarim de um show de Raul Seixas em 1983 na Sociedade Esportiva Palmeiras, em São Paulo, numa conversa entre Sylvio Passos, então fundador/presidente do fã-clube oficial de Raul Seixas, o Raul Rock Club, e do produtor e ator de teatro Ton Crivelaro.

“Depois de anos, nos encontramos em Campinas, num show do músico Agnaldo Araújo, e resolvemos retomar o projeto”, explica Sylvio.

“Foi fantástico, contar a vida deste grande ídolo e trabalhar com pessoas que além de fãs, também são ótimos músicos e atores”, completa o Diretor Ton Crivelaro. “O resultado foi um espetáculo emocionante!”.

A peça mostra um escritor (Sylvio Passos) que enquanto escreve um livro sobre a vida do cantor, comenta passagens vividas pelos dois.

ELENCO:
Sylvio Passos, Jota Peron, Agnaldo Araújo, Bete Bastos e Putos BRothers Band
Iluminação: Camila Guinatti
Cenografia e figurinos: Teatro de Pano e Jota Peron

Espetáculo: MEU AMIGO RAUL
Texto e direção: Ton Crivelaro
Direção musical: Agnaldo Araujo
Assessoria histórica: Sylvio Passos
Gênero: Musical
Classificação: Livre

Onde: TEATRO EVA WILMA
Rua Antonio de Lucena, 146
Tatuapé
Fones: (11) 20901650 e 22938766

Quando: 07, 08, 09, 14, 15 , 16, 21, 22, 23 de junho
Sexta feiras as 21:30 horas
Sábados as 21:00 horas
Domingos as 19:30 horas

Ingressos: R$40,00 inteira
R$20,00 estudantes
R$15,00 antecipados até um dia antes e sites de vendas coletivas.

Fã Page
http://www.facebook.com/MeuAmigoRaul

Grupo Discussão
http://www.facebook.com/groups/meuamigoraul

Speaker Deck
https://speakerdeck.com/spassos/meu-amigo-raul

Anúncios

Salve, Salve nosso querido Raulzito

A semente que ele ajudou a plantar já nasceu… Viva a Sociedade Alternativa!”

VIVA, VIVA!! O homem nasceu livre, por isso faz o que tu queres há de ser tudo da Lei! A LIBERDADE, essa é a nossa Lei e a alegria do mundo.

Cada homem e cada mulher é uma estrela, cada ser humano é único, por isso é preciso respeitar a individualidade do ser e o curso natural da vida… pois se uma estrela há de brilhar, outra então tem que se apagar. Quero estar vivo para ver o sol nascer, a geração da luz e a esperança no ar. Sei que não chegou a hora de se ir embora é melhor ficar… Eu sou o Início, o Fim e o Meio.

Conta a lenda que Raul certo dia encontrou o senador da república, na época Tancredo Neves, em um aeroporto, e foi logo dizendo, obviamente bêbado: Senador eu tenho a solução para o Brasil, vamos alugar a porr@ toda!” IRREVERÊNCIA, INQUIETUDE, REVOLTA, CORAGEM, CRIATIVIDADE, DUALIDADE, UNIDADE, FRATERNIDADE, AMOR, MUSICALIDADE, ARTE, ESPIRITUALIDADE, ALMA-MENTE-CORPO, HOMEM, DEUS, VIDA.

O Maluco Beleza, a Metamorfose Ambulante não se foi, depois de ultrapassar a barreira do SOM ele deixou suas impressões digitais, suas músicas e toda a sua energia plantadas aqui no Planeta Terra. Depois disso pegou um disco voador e saiu por aí na velocidade da LUZ a descobrir novas galáxias, estrelas e explorar uma nova dimensão do ser.

Fonte da imagem:

Filme,pré-estreia, festa e exposição – Raul: O início, o fim e o meio

Olá Taverneiros, tenho várias novidades sobre o nosso mentor taverneiro-filosófico-muluco-beleza, mais conhecido como Raul Seixas. O mês de março está repleto de Raulzito: filme, pré-estreia, festas e exposição.
É com muita felicidade que faço a divulgação da estreia do filme e da exposição, “Raul: O início, o fim e o meio” aqui na Taverna. Tive o prazer e o privilégio de assistir o filme que foi exibido pela primeira vez na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo – 2011. Exibido em duas salas lotadas, no Shopping Frei Caneca, o filme não só emocionou os fãs do Raul, como também fez a plateia entoar um canto emocionado ao relembrar a vida e as músicas do Maluco Beleza e que ao final recebeu um merecido e caloroso aplauso e vários gritos de “Toca Raul”. Não foi à toa que o filme levou o Prêmio de público e Prêmio Itamaraty de melhor documentário brasileiro da Mostra.
O filme estreia nos cinemas agora 23 de março e para os Raulseixistas de plantão haverá pré-estreias do filme no dia 15 de março. E para quem desejar cantar e se emocionar com as músicas do Maluco Beleza haverá festa de pré-estreia do filme no dia 20 de março, no Adega Original, São Paulo. Atrações: Putos Brothers Band e convidados especiais.
Foi aberta agora no dia 10, no Metrô Paraíso, São Paulo, a exposição “Raul: O início, o fim e o meio” que exibe a discografia, a cronologia da vida e obra do Raulzito, além de fotos e manuscritos das letras das músicas compostas por ele. A exposição fica em cartaz de 10 a 31 de março.
Para mais detalhes clique aqui e acesse o Estrambólica Arte onde foram disponibilizados os links e mais informações.

Geeks e as tarefas repetitivas

Geeks vs não-geeks nas tarefas repetitivas

Olá Taverneiros, estava navegando pelo Google+ quando de repente vi o gráfico acima. Achei demais e resolvi disponibilizá-lo aqui na Taverna, pois faz muito tempo que não publico nada dessa categoria aqui. Ultimamente estou mais na veia filosófica com os posts da série o ‘O Pulso da Vontade’. Mas, um pouco de humor nerd-geek não faz mal a ninguém, eu já estava com saudade.

Fonte: Google+ clique aqui para acessar  o link.


Ritmo

RITMO. [DO GR. RHYTMÓS. PELO LAT. RHYTMU] S.M. 1. MOVIMENTO OU RUIDO QUE SE REPETE, NO TEMPO, A INTERVALOS REGURALARES, COM ACENTOS FORTES E FRACOS. 2. NO CURSO DE QUALQUER PROCESSO VARIAÇÕES QUE OCORRE PERIODICAMENTE DE FORMA REGULAR. 3. SUCESSÃO DE MOVIMENTOS E SITUAÇÕES QUE EMBORA NÃO SE PROCESSEM COM REGULARIDADE ABSOLUTA, CONSTITUEM UM CONJUNTO FLUENTE E HOMOGÊNEO NO TEMPO.

Segue a definição de ritmo da exposição: “Nossas ações e movimentos variam de acordo com os diferentes ritmos que a eles imprimimos. Estas diferenças, no entanto, não se dão apenas a partir da nossa predisposição física e mental, mas também em virtude da natureza das situações com as quais nos deparamos e lidamos. Tais situações exigem de nós a busca por um compasso equilibrado”.

Caros leitores, demos uma pausa para acomodar e conciliar as nossas várias atividades do dia a dia, mas agora que as prioridades e atividades foram concluídas estamos de volta aqui na Taverna para mais uma troca de opinião e experiências. O tema é dessa vez é ritmo. Excelente tema para os nossos dias tão acelerados. Ritmo é o compasso que controla nosso movimento na vida e na interação com os outros. O movimento promove o equilíbrio do mundo, pois impulsiona à evolução que dá asas a imaginação para mover o pensamento e concretizar ações. Às vezes é preciso acelerar e às vezes é preciso pausar. Saber a hora exata de acelerar e pausar é uma excelente prática que nos permite uma vida mais tranquila e saudável.

O ritmo é dado de acordo com o pulsar das nossas emoções e desejos, no entanto é preciso levar em conta que não vivemos isolados no mundo, pelo contrário nossa existência faz parte de uma grande orquestra, onde cada movimento deve ser sincronizado com o meio, pois quando esta sincronia não existe o sofrimento e a angustia imperam. A vida não é uma estrada isolada onde acontece um punhado de acontecimentos desconexos. Tudo acontece harmonicamente por uma pura razão de ser. A vida é uma onda que nos arrasta, querendo ou não. Ir contra seu curso, seu ritmo natural é sofrer. Se deixar levar por ela é viver plenamente aceitando o que nos é oferecido.

Olá, gente! Aqui estamos nós e falando justamente, no que? Ritmo! Oh, há quem traduza ritmo como tempo, ou melhor, como NÃO ter tempo. Muita gente que eu conheço por aí tem um ritmo constante de não ter tempo pra nada que importa, pra nada que vale a pena, pra nada que motive e verdadeiramente nos faça feliz.

O meu ritmo é o meu ritmo. Tem hora que é acelerado, tem hora que é dez por hora. Mas não me cutuque, por favor, não me apresse. Não suporto ser pressionada. Faço tudo quanto faço respeitando um ritmo que vem de mim para mim. Conflito? Sim; pois a pergunta que não quer calar é: “O que você aprende ao conviver com o ritmo do outro?”.

Eu aprendo a fazer malabarismos de tempo. Isto sim. Aprendo a ter paciência, aprendo a ceder. Aprendo a parar de ficar assim tão dentro da minha mente. Aprendo a agir com desapego. Aprendo a beleza do bom humor. Aprendo a deixar tudo ser o que é, despreocupando conscientemente. Aprendo a amar. Ritmo é tudo quanto precisamos aprender a coordenar na relação com os demais.

Sou adepta da máxima Time is Art e basicamente o que mais me tortura nesse mundo é a lógica do Time is Money. Mas, cá entre nós caro sistema capitalista, apesar de você amanhã há de ser outro dia. Pois tem gente suficiente trocando de tempo, saindo dessa engrenagem louca de correria e investindo no SEU próprio tempo. Há gentes suficientes que perceberam que você furou. E só você mesmo não viu. Pois o ritmo de vida que você nos impõe é morte. E não vem que não tem.

E você amado leitor? Qual é o seu ritmo? Conte-nos aqui, estamos DOIDAS pra saber tu-di-nho! Filosofemos – há de se ter tempo para se ser o que se é, né?! =))

Carla Oliveira e Paula Figueiredo


Impulso

Painel da exposição que está on no Sesc Vila Mariana em SP

Olá galera da Taverna! Estamos de volta com mais um post da série “O Pulso da Vontade”. E o nosso tema de hoje é Impulso. O que é isso? Segue a descrição dada pelo pessoal da exposição “O Pulso da Vontade”, do Sesc Vila Mariana:

IMPULSO [DO LAT. IMPULSU] S. F. 1. ATO DE IMPELIR: IMPULSÃO. 2. IMPETO. 3. ABALO, ESTREMEÇÃO. 4. FIG. ESTIMULO INCITAMENTO, INSTIGAÇÃO. O impulso é um atributo presente nas diversas ações que realizamos cotidianamente. Traduz-se tanto nos movimentos e gestos  que praticamos  publicamente, incluindo as relações físicas e psicológicas  com o ambiente  e com as pessoas, como também nas manifestações de nossa subjetividade, ligadas a iniciativa e ímpetos  gerados em nosso intimo.

Ficou claro? Eu, Carlinha, a galera da Taverna e, lógico, vocês, caros leitores, estamos diante do desafio de ajudar a esclarecer ainda mais esta questão. E muitas delícias nos aguardam, assim como muitas delícias já rolaram aqui na Taverna, que está promovendo um bate-papo super produtivo e estimulante para todos nós. Ou, deveria eu dizer TODAS. É meninas, a filosofia  feminina está imperando neste espaço. Até então, nenhuma manifestação masculina. Nós, mulheres, estamos cada vez mais certas do que viemos buscar aqui, não é? Vamos ver se algum homem nos mostra a que veio. Mas isso é outro assunto.

Proponho darmos uma olhadinha nas falas de algumas dessas ‘mulheres de voz’ que berram pra pedir silêncio e fazem barulho por si mesmas quando acham que é preciso, como cantou Rita Lee. Vejam o que a Laura Torres de 33 anos, poetisa, pintora e biomédica contou pra nós, lá de Brasília, DF:  “O meu teleférico de ida sou eu mesma quem transporta”, esta fala me remeteu à palavra chave  de hoje: impulso; pois impulso é algo que nos transporta, que nos move. O que será que move Laura para que ela seja a responsável por mover seu “teleférico de ida”? Eu me pergunto. Aparecem, aqui, amigos, duas perguntas: “O que te move?” e “Você move o seu corpo ou é o seu corpo que te move?”, ambas tiradas da exposição “O Pulso da Vontade”, como vocês podem conferir nas imagens abaixo.

No post anterior, nossa enquete teve por centro a questão: “O que é vital para você?”. Neste, vamos abrir um pouco a discussão e oferecer mais perguntas para serem respondidas, pois a curiosidade das pessoas as levam a fazerem perguntas diferentes. Tá difícil? Olha o que nos falou Talitha Mesquita, 28 anos, bailarina e professora de dança, direto de Belo Horizonte, MG: “Nossa, é difícil e fácil responder essas perguntas, né?! (…)O que é impulso para mim? Ai, os impulsos, nem sempre são bons, nem sempre têm boas consequências. Muitas vezes é algo que me é vital, ou algo que me inspira, algo   que me motiva, nem sempre com uma natureza boa: amor, dor, alegrias, raiva, tudo isso pode ser impulso.. e assim também são suas consequências: a fala, o grito, o choro, uma ação, a vibração – o que me preocupa mais é o que este impulso causa ou reverbera”. A Talitha nos ajudou um pouco a clarear a percepção sobre “impulso”, respondendo-nos a questão “O que é impulso?” e nos colocou diante de outra pergunta a respeito dos EFEITOS de nossos impulsos. Ela sugeriu que ainda mais importante do que pensar sobre “O que é impulso?” é pensar sobre quais as CONSEQUÊNCIAS dos impulsos nas nossas vidas. A  pergunta da série “O Poder da Vontade” que Talitha se perguntou foi: “Para onde seus impulsos lhe conduzem?”.  E vocês, queridos leitores? Qual das perguntas  feitas até aqui lhes é mais essencial responder? Deixe seu comentário escolhendo pergunta e resposta, pois Mário Quintana já dizia “A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas”.

“Por isso eu digo que pra mim o vital é isso: as inúmeras formas de como a vida nos mostra o essencial. Os caminhos que percorremos e as lições que nos são dadas durante todo o processo, as pessoas que encontramos e nos identificamos com ideologias e sentimentos, mas também as pessoas que nos colocam a prova, em conflitos, fazem crescer, chorar, rir, vibrar…” atestou Nayana Lenzi, de 25 anos, estudante de pedagogia, de Varginha, MG. Preciso falar mais? “Adoro questões metafísicas colocadas na prática”, essa é da Erica Gaião, 34 anos, administradora de RH, futura professora de filosofia e escritora do Rio de Janeiro. Bacana, Keka, nós também. Tudo isso aqui pode realmente nos ajudar a ser melhor, não pode? “SER melhor é ter amigos, Amor em todas as suas manifestações”,  poetou Keka. Concordo com ela. E você? Ficou confuso diante de tanta pergunta? Não se preocupe que a Ludmila Megalço, estudante de medicina, de 21 anos, também do Rio, pode te ajudar: “Talvez tudo isso hoje se resuma num tópico: seguir meu coração e ser fiel a mim mesma”. Brilliant.

A Lud também é escritora, assim como todas nós, mulheres aqui citadas, gente de voz, que se responsabiliza pelo que sente, pensa, fala e faz. E nós somos todas filosofas junto com a Keka, não é gente? Acho tudo isso maravilhoso. Olha o que acha a Fernanda Gerber, psicóloga de 31 anos e que nos fala direto de Londres, UK:  “Eu sou apaixonada por essas amizades lindas que vejo por ai. E quando acontecem essas amizades só sai coisa boa”. É gente, a coisa boa não vai parar nunca mais, estão sentindo? Mas, agora é com a minha amiga Carla. Mando a bola pra ela, e fecho com o comentário que nos deixou Renata Rezende, esta corretora de seguros, professora de línguas e (também!)  escritora de 34 anos, lá de Sampa: “A Carla descreveu muito bem como é bater-papo com a Paula. Entramos no detalhe do ser, filosofamos, compartilhamos histórias”. Adoro filosofar com amigas tão interessantes! Obrigada pela companhia, meninas. E continuemos…

É isso mesmo Paula, nós mulheres temos o dom da intuição e da emoção e por isso assuntos filosóficos nos chamam tanto a atenção, engana-se quem acha que filosofia é somente pensamento lógico e razão. Meninas, a opinião de vocês veio exatamente de encontro com a proposta da exposição e enriqueceu muito nossa ideia de compartilhar nosso conhecimento e experiência. Tudo quanto é compartilhado é multiplicado e amplificado, o mais clássico exemplo disso é aquela passagem Bíblica onde Jesus faz a multiplicação dos pães. Já dizia o sábio Raul Seixas, “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Impulso, no meu modo de pensar é algo que ajuda a me manter em movimento, ou seja, agir. O impulso é fio condutor responsável por carregar a faísca necessária para gerar a explosão que nos faz tomar uma atitude, ‘for better or for worse’. Por essa característica explosiva do impulso que poderá nos levar a fazer coisas boas e também coisas ruins é preciso compreender nossos impulsos e o que nos motivou a tê-los. Essa compreensão faz parte do nosso autoconhecimento e contribui para nosso amadurecimento como seres humanos. Reprimir nossos impulsos poderá ser o caminho mais fácil para evitar fazer algo ruim/errado, no entanto essa repressão nos privará do erro que é justamente o que nos faz aprender e nos conhecer.

O tema do proximo post é “pulso-irrigação”. Quer saber o que é isso? Fique ligado na Taverna que em breve a gente explica tudinho. Por enquanto, escolha entre as perguntas citadas acima “entre aspas” a que mais lhe interessa responder e faça seu comentário. Vamos acender o bate-papo por aqui e refinar o nosso conhecimento de mundo e de nós mesmos. Au revoir!

Paula Figueiredo e Carla Oliveira


Igreja do Ctrl+C e Ctrl+V

Caros Taverneiros e amigos Nerds/Geeks, era só o que faltava no mundo do bits e bytes uma igreja do Ctrl+C e Ctrl+V. Pois bem, isso não é nenhuma piada, é real e aconteceu na Suécia. Lá a igreja do Ctrl+C e Ctrl+V foi reconhecida como religião. Segue abaixo a matéria completa que li no site da Folha Online.

A Igreja do Kopimismo (Church of Kopimism), religião que tem como base o compartilhamento de informações, foi formalmente reconhecida pelo governo da Suécia.

Kopimi, em inglês, é pronunciado copy me –ou me copiem. É um selo formulado para ser o oposto do copyright, que dá permissão para que o conteúdo seja copiado e disseminado sob qualquer propósito, comercial ou não.

A seita foi criada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, 19. Além dele, também aparece como fundador da religião o estudante de economia Gustav Nipe, 21 –ele também é um participante ativo do Partido Pirata da Suécia.

Em seu Twitter (@isakgerson), Isak escreve com ares de profeta. “Um décimo dos arquivos de todos deveria ser compartilhado”, disse.

Os “kopimistas” acreditam que toda informação compartilhada tem mais valor e é sagrada. Os símbolos da religião são o Ctrl+C e o Ctrl+V.

O reconhecimento protege e garante o direito dos kopimistas de exercerem a religião e, pelo menos da teoria, pode dar acesso à assistência financeira do governo.

Em 2009, a Suécia foi palco de outro acontecimento na área de cultura digital: o Partido Pirata sueco conseguiu 7% dos votos do país nas eleições parlamentares europeias.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/tec/1030301-suecia-reconhece-igreja-do-ctrlc-e-ctrlv-como-religiao.shtml