Igreja do Ctrl+C e Ctrl+V

Caros Taverneiros e amigos Nerds/Geeks, era só o que faltava no mundo do bits e bytes uma igreja do Ctrl+C e Ctrl+V. Pois bem, isso não é nenhuma piada, é real e aconteceu na Suécia. Lá a igreja do Ctrl+C e Ctrl+V foi reconhecida como religião. Segue abaixo a matéria completa que li no site da Folha Online.

A Igreja do Kopimismo (Church of Kopimism), religião que tem como base o compartilhamento de informações, foi formalmente reconhecida pelo governo da Suécia.

Kopimi, em inglês, é pronunciado copy me –ou me copiem. É um selo formulado para ser o oposto do copyright, que dá permissão para que o conteúdo seja copiado e disseminado sob qualquer propósito, comercial ou não.

A seita foi criada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, 19. Além dele, também aparece como fundador da religião o estudante de economia Gustav Nipe, 21 –ele também é um participante ativo do Partido Pirata da Suécia.

Em seu Twitter (@isakgerson), Isak escreve com ares de profeta. “Um décimo dos arquivos de todos deveria ser compartilhado”, disse.

Os “kopimistas” acreditam que toda informação compartilhada tem mais valor e é sagrada. Os símbolos da religião são o Ctrl+C e o Ctrl+V.

O reconhecimento protege e garante o direito dos kopimistas de exercerem a religião e, pelo menos da teoria, pode dar acesso à assistência financeira do governo.

Em 2009, a Suécia foi palco de outro acontecimento na área de cultura digital: o Partido Pirata sueco conseguiu 7% dos votos do país nas eleições parlamentares europeias.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/tec/1030301-suecia-reconhece-igreja-do-ctrlc-e-ctrlv-como-religiao.shtml

Anúncios

Sobre Carla Oliveira

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira. Uma parte de mim é só vertigem:outra parte, linguagem. Traduzir-se uma parte na outra parte - que é uma questão de vida ou morte - será arte? Ver todos os artigos de Carla Oliveira

3 respostas para “Igreja do Ctrl+C e Ctrl+V

  • Paula

    Uau!
    Que doido isso, Carlinha! To besta! Acho que o compartilhamento é legal mesmo, mas uma religião defendendo qualquer coisa que seja que não seja o amor universal, o respeito e a igualdade é questionável para mim! Mas interessante é, certamente. E curioso! Amei o post! Parabéns!
    Bjo

  • Carla Oliveira

    Amiga, concordo plenamente com você, mas não posso negar que o absurdo dessa notícia me chamou muito atenção. A ideia do compartilhamento de informação é ótima, mas daí a transformar isso numa religião achei exagero. Publiquei a notícia justamente por isso, acho positivo expormos coisas que não concordamos plenamente e que podem gerar questionamentos.

  • Paula Figueiredo

    Arrasou, gata. Muito bom! bjoos! ❤

Cachaceiro, sinta-se a vontade para deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: