Arquivo do mês: julho 2011

Cast 003 – Guerras, Livros e Tronos

O terceiro podcast da Taverna Filosófica está no ar! O podcast é um programa que serve para informar e divertir os frequentadores dessa Taverna. Puxem uma cadeira e participem da conversa de boteco sobre Guerras, Livros e Tronos com os taverneiros: Lessandro Rodrigues,  Tiago Ferreira, Victor Milani e o convidado especialista em Game of Thrones, Paulo.

Duração: 72 min.

Não deixem de ouvir os emails no final do cast! A partir de 64’10”.

Ouça o podcast

Download podcast

ATENÇÃO PARA O NOVO FEED (ITUNES, WINAMP, ETC):

https://tavernafilosofica.wordpress.com/category/cast/podcasts/feed/

O que é RSS? Como assinar um blog? Como assinar um podcast?

SPOILER A PARTIR DE 38’05”.

Comentado nesse episódio:

Site oficial da série exibida pela HBO

Elenco de Game of Thrones

TV TROPES

Vídeos do Sean Bean (CONTÉM SPOILERS)

Ouça aqui os podcasts anteriores!

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Cast

O papo humorado de bêbado da semana está mais que especial. Dessa vez, os taverneiros se embriagaram com histórias e gravaram a conversa para informar a clientela de um jeito digno de Taverna. Aguardem, logo o Podcast 003  estará no ar. Acompanhem as novidades!

Os taverneiros Lessandro Rodrigues, Tiago Ferreira, Victor Milani e um convidado especial aguardam pela sua companhia.

Até logo!


Desenhos que divertiam as crianças nos anos 80

Eu tive a sorte de ser criança  na época dos desenhos animados mais legais de todos os tempos. Logo abaixo segue a lista dos meus preferidos. E vocês, meus amigos taverneiros quais desenhos animados fizeram parte da sua infância e quais aqueles que vocês mais gostaram?

Caverna do Dragão: Cheio de mistério, esse desenho tinha um time de personagens bem variado. Entre eles, um mago meio atrapalhado e um unicórnio fofo. Eles se perderam em um mundo encantado quando visitaram um parque de diversões. Nesse lugar, o vilão Vingador vivia a atormentar os jovens, enquanto o Mestre dos Magos aparecia para ajudá-los a voltar para a casa.
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folhinha/945180-conheca-desenhos-que-divertiam-as-criancas-nos-anos-80.shtml

Thundercats: Um grupo de felinos eram os heróis desse desenho. Eles eram sobreviventes do planeta Thundera que chegam ao Terceiro Mundo. Lá, constroem uma nova casa, a Toca dos Gatos. Mas, logo, os mutantes que os perseguem também encontram o Terceiro Mundo. Eles ainda recebem a ajudinha do demoníaco Mumm-Ra, que quer destruir os Thundercats.
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folhinha/945180-conheca-desenhos-que-divertiam-as-criancas-nos-anos-80.shtml

Continue lendo


Ninguém é perfeito somos todos humanos

“Nem todo homem mente e nem toda mulher é boazinha”! E vice-versa.

Li a frase acima disponibilizada no Google + de uma amiga e achei simplesmente perfeito, afinal de contas ninguém é perfeito somos todos humanos.

Todos sabem das diferenças entre homens e mulheres (homens são de Marte e mulheres são de Vênus), mas não nos cabe julgar quem está certo ou errado, quem é mais forte ou mais fraco, porque ambos têm seus pontos positivos e negativos e o melhor de tudo se complementam.

O importante é saber que ninguém é perfeito e independente do gênero feminino ou masculino somos todos humanos e por isso errar e acertar faz parte da nossa existência.

“Quem é perfeito e nunca pecou que atire a primeira pedra”.


Colo de mãe


Nessa semana me veio à lembrança um dos textos de Eliane Brum – jornalista, escritora, documentarista e colunista da Revista Época. É, é aquela mesmo que parece entender tudo de pais, filhos, política, religião e natureza. Gosto de suas palavras e de suas analogias, seu jeito manso e pausado de pensar.

O texto que ressurgiu na memória foi As mães não deveriam morrer. Começo com a mesma introdução de Eliane Brum: “Uma amiga perdeu a mãe, de repente.” A notícia também chegou pela internet, como a notícia da mãe da amiga de Eliane. É assim mesmo, mãe da prima de uma amiga da amiga, é dessa forma que as notícias chegam pela rede social. Mas, dessa vez aconteceu com a mãe de minha amiga. Nunca esperamos más notícias ou notas que entristecem aqueles que estão ali, naquela rede, quase sempre compartilhando vídeos engraçados, manifestos ou novos amores. Continue lendo


nota do editor

Acabei de ler o post transcrito abaixo, no blog “Quero te pegar sóbrio” , do meu amigo, Gustavo Calenzani. Resolvi transcrevê-lo aqui na Taverna, porque  o texto é simplesmente ótimo e quero compartilhá-lo com os meus amigos taverneiros e todos os nossos clientes.

se tem uma coisa que me irrita é a expressão “inveja branca”.  inveja é o lado negro da força. é dela que surgem muitas coisas ruins da humanidade. até guerras, por que não?  portanto, ter inveja é ser humano. agora, não me venha camuflar um produto de segunda categoria numa coisa bonitinha. Você, publicitário que tem a conta da inveja e quer vendê-la como ACE toda inveja branca fosse assim, fica esperto. Nós estamos de olho.

Para quem quiser conferir o “QTPS – Quero te pegar sóbrio” segue o link:

http://querotepegarsobrio.wordpress.com/


Sotaques e jeitinhos

Aos poucos os frequentadores dessa Taverna estão nos conhecendo.  O papo filosófico de bêbado no Cast 002 – Memórias, Filmes e Cisnes se enrolou e desenrolou nas vozes de três taverneiros cheios de sotaque.

Mas, uma coisa não tem com negar: bêbados tem em comum o sotaque. “Arraaaastaam paalavrasss” e entendem tudo o que falam os outros bêbados, até os que falam em outra língua. Por experiência própria posso afirmar que o álcool colabora para que nos expressemos sem pudor, principalmente numa língua regional desconhecida, completando o papo com caras e bocas.

Não sou formada em Comunicação Social, não tive aula de Sociolinguística, mas é um assunto que me desperta interesse e me instiga na pesquisa. Trago para essa Taverna o assunto sobre sotaques e dialetos que, para mim, ficará guardada na caixinha cerebral de curiosidades científicas.

Fonte: linguisticapreconceituosa.blogspot.com

No Brasil existem aproximadamente 180 dialetos, alguns usados com diferentes sotaques regionais. Não se confunda, o sotaque refere-se às diferenças de pronúncia, variedade fonética e/ou fonológica, já o dialeto às variedades gramaticais. Continue lendo