Levante-se, não fique fora da Casinha!

Em menos de um mês que choramos as pitangas pelo cenário da música curitibana, ouvindo as canções que causam dependência, viciamos os  frequentadores dessa Taverna. Bêbados pelas doses dos acordes, fomentamos a discussão: “[…] A indagação sobre o potencial artístico das cidades, como Curitiba e outras, no cenário musical não se propagar está restrito à produção local ou o problema está em pequenas portas enferrujadas que não se abrem para esses artistas, nem mesmo dentro da própria cidade? […]”.

(Ver o post  A música independente que causa dependência).

Neste momento, trago uma resposta. Não uma mera resposta, não um simples manifesto, mas um Levante. Uma ordem imposta pelos que se preocupam em propagar a música curitibana começando pela porta da frente.

As portas da casa se abrem mostrando um cenário que poucos conhecem. Mesmo sabendo do desmerecimento da arte local por parte das autoridades (que não produzem espaços culturais dignos para os artistas locais), pessoas que não esperam acontecer arregaçam as mangas, fortalecem a base estrutural e constroem uma casa que não apenas produz música, mas planta e colhe os frutos culturais no seu jardim, um público hipnotizado pela qualidade musical de Curitiba.

Isso não é uma metáfora. Essa casa, que ainda é uma casinha, foi projetada por uma parcela dos viciados em arte. A Casinha, um espaço idealizado pela Tertúlia Produções Culturais, é um ponto de encontro cultural situado ao lado do ícone da cultura curitibana, o Museu Oscar Niemeyer, e reúne sob tetos e ares um público que acompanha a produção dos artistas locais que expõem sua criatividade em cores, notas ou acordes – num ar contaminado pela arte.

Quando postado nessa simples Taverna sobre o cenário artístico curitibano procurou-se refletir não sobre as músicas, mas sobre a cidade perante ao movimento artístico. As respostas surgiram de diversas maneiras, com divulgação, com manifestos e agora com um Levante.

Foto: Daniela Carvalho

O Primeiro Levante de Música Curitibana que inicia neste domingo 12/06/2011, com a sutileza de acontecer no dia mais apaixonante do ano, segue até o mês de setembro e serve para aproximar e apaixonar o público com as belas canções. Esse evento idealizado pelos que se levantam para aplaudir a cena musical autoral de Curitiba reúne 14 grupos musicais e responde para a cidade do marketing que certas vezes não é a mídia nacional que apresenta a qualidade cultural da cidade, mas a qualidade cultural que se estende e conquista a mídia.

Divirta-se no dia dos namorados. Levante-se, não fique fora da Casinha!

A agenda mais que cultural da Taverna Filosófica anota as primeiras apresentações do domingo – 12/06/11:

Real Coletivo Dub (às 17h)

Formada em 2005 por seis músicos com as mais variadas influências e estilos musicais, o Real Coletivo tem fortes influências do dub e do reggae jamaicanos. Também mistura vários estilos brasileiros como maracatu e samba aliados a rimas e versos ritmados do rap e hip-hop. Esta mistura foi batizada de “S.O.M” ou “Samba Ombrófilo Misto”. Ombrófila Mista é o nome científico das florestas de Araucárias, onde se encontrar o pinheiro-do-Paraná, ou seja, fazem o “samba das araucárias”. A banda já dividiu o palco com os rappers Black Alien e B Negao além de nomes como Mundo Livre S/A, e o regueiro americano Obeyjah. Em 2007 o Real Coletivo Dub gravou seu primeiro CD, produzido por Xandão Menezes, guitarrista e fundador d’O Rappa. Recentemente lançou o clipe “Vou de Bike” com participação de cantor jamaicano EEK A Mouse.

 

Molungo (às 19h)

O grupo Molungo é formado pelos músicos Carlito Birolli, Cauê menandro, Gui Handa, Caio Guimarães, Luiz Piazzetta e a vocalista Iria Braga. Seu som procura transmitir a miscigenação através de seus ritmos refletidos na ampla gama instrumental da banda, que conta com violões, contra-baixo, vocais e uma série variada de percussões. Na Casinha o Molungo apresentará canções do seu álbum “Molungo” de 2009 e também novas composições. Recentemente o grupo se apresentou no Teatro Paiol com a participação do premiado cantor, compositor e instrumentista Rodrigo Maranhão.

Local: Casinha – Rua São Sebastião, 784 (fundos). Data: 12/06/11 a partir das 15h. Preço: R$10 até às 18h. Após, R$12. Tertúlia Produções Culturais – facebook.com/tertuliaproduz / tertuliaproducoes@felixbravo.com.br

Fonte: elaborado pela autora com base nas informações da nota: Não é uma festa. Não é um show. É um LEVANTE!

https://www.facebook.com/notes/tert%C3%BAlia-produ%C3%A7%C3%B5es-culturais/n%C3%A3o-%C3%A9-uma-festa-n%C3%A3o-%C3%A9-um-show-%C3%A9-um-levante/228562583837164

Anúncios

Sobre tatitalima

Tatita Lima contribuiu com álcool e filosofia para esta Taverna no período de 06/04/2011 à 20/01/2012, mas nunca deixará a essência de taverneira porque toda a sua filosofia de bêbada continuará registrada em seus textos. A Tatita Lima continua na rede: twitter: @tatitalima facebook: facebook.com/tatitalima Ver todos os artigos de tatitalima

11 respostas para “Levante-se, não fique fora da Casinha!

Cachaceiro, sinta-se a vontade para deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: