Tonight’s the night

Continuo o assunto mórbido do meu último post. Nas citações apareceu Dexter, uma das séries atuais macabras-comerciais bem sucedidas (transmitida tanto pela Showtime, nos EUA quanto pela FX no Brasil) que tem um roteiro fechado e visível identificação do público com o protagonista.

Uma vez encontrei num sebo os livros do romance de  Jeff Lindsay, e pensei: se é impossível ver apenas um episódio por vez, seria insano começar a ler esses livros, os devoraria numa tarde.

Desde a excelente abertura da série, centrada no tema ambíguo de violência, sangue, assassinato com cenas do café da manhã do “serial killer-narrador” é capaz de segurar e fazer o público nem cogitar a hipótese de pular os minutos da abertura, mesmo depois de tantos anos de série.

É fácil perceber o diferencial da série, desde o episódio piloto. Já no primeiro episódio mostra de forma clara, um divisor de águas (ou sangue), que define a série: ou você gosta de sangue ou você foge dele.

Mais interessante que o tema é a forma de abordagem. Um serial killer que convence do que faz e como faz, um profissional autônomo que executa seu trabalho com toda ética e organização, ou seja, o sonho de consumo do RH de qualquer empresa.

Nesse drama, em certos momentos, o narrador traz à tona os monstros que somos e que  ninguém conhece. Com o passar dos anos cometemos voracidades em momentos de insensatez, que nem sempre são justificados, assim somos capazes de aproximar ou afastar as pessoas. Isso nos aproxima das pessoas que realmente nos querem por perto e afasta as que não compartilham do mesmo sofrimento.

Somos lembrados pelo que fazemos o outro sentir e às vezes, infelizmente, somos lembrados por alguns como fracos, frios e muitas vezes irresponsáveis. Mas, essas expressões marcaram um episódio da sua vida, uma temporada talvez, mas não o seriado inteiro.  Não pode ser considerado um rótulo, porque momentos não são capazes de nos intitular. Por isso, nos identificamos com algumas pessoas que de certa forma, não se afastaram porque compartilham dessa “humanização”, porque no fundo somos todos vilões e heróis.

Quantas pessoas realmente te conhecem, sabem seus medos, suas fantasias, suas mentiras? Você precisa de quantos dedos para contá-las?

Essa dramatização de vilão e herói, a sua verdadeira identidade diante da família, dos colegas de trabalho e dos amigos é o elo do episódio com o resto da temporada. Não é o tipo de série para assistir almoçando, jantando, muito menos fora da sequência. Não pelo sangue e corpos retalhados, mas porque tudo tem um motivo e uma consequência, seria como avançar para a digestão sem ter mastigado e saboreado uma deliciosa sobremesa.

A sexta temporada de Dexter começa em setembro, mas ontem, 7 de abril às 22h, começou a transmissão da última temporada na FXBrasil. Então, para quem ainda não acompanha “tonight’s the night!”, como diz o Dexter, ainda é possível mergulhar em sangue durante os próximos meses nas cinco temporadas. Aproveite, porque acompanhar semanalmente faz a espera angustiante.

Tonight’s the night!

Boa digestão!

 

Anúncios

Sobre tatitalima

Tatita Lima contribuiu com álcool e filosofia para esta Taverna no período de 06/04/2011 à 20/01/2012, mas nunca deixará a essência de taverneira porque toda a sua filosofia de bêbada continuará registrada em seus textos. A Tatita Lima continua na rede: twitter: @tatitalima facebook: facebook.com/tatitalima Ver todos os artigos de tatitalima

5 respostas para “Tonight’s the night

  • Victor

    Realmente uma série sensacional. Sempre aguardo toda temporada ficar pronta para assistir, impossível esperar semanas para ver.
    Embora todas temporadas tenham um formato semelhante, sempre há novidade e a história é fechada com muita habilidade.

  • tatitalima

    Mudanças ocorreram durante a série, de roteiro, de direção. Confesso não ter gostado de algumas mudanças, mas admito que a linha nunca se perdeu. Sempre sabemos quando está acabando a temporada que a história irá se fechar, ou naquela temporada ou na próxima, só não sabemos como.

  • Lessandro

    Muito bom o post! hehe Deu vontade de assistir essa série, confesso que séries e filmes de serial killers nunca me chamaram a atenção ^^ Mas vou dar uma conferida nessa aí ehhehe

    • tatitalima

      Que bom que se interessou! Na verdade sempre é bom perder o preconceito, optar por assistir não vai garantir que irá gostar, mas depois que assistir vai te garantir uma opinião! ;D

  • Morram para aprender a viver « Taverna Filosófica

    […] série já foi mencionada nessa Taverna, no post Tonight’s the night, e desde 2006 lembrada muitas vezes na minha vida, não pela vontade de que façam um café […]

Cachaceiro, sinta-se a vontade para deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: